Pesquisas e fatos sobre homeschooling – tradução

postado em: Educação | 0

[TRADUÇÃO]


Fatos e estatísticas sobre homeschooling nos Estados Unidos e no mundo

Pesquisador Brian D. Ray, Ph.D.
Publicada em 23 de março de 2016.

 

  • O homeschooling, ou educação domiciliar, algumas décadas atrás era considerado inovador ou ‘alternativo’, mas recentemente tem se tornado convencional nos Estados Unidos. Possivelmente é a forma de educação que cresceu mais rápido no país nessa última década. O ensino domiciliar cresce também à olhos vistos por todo o mundo, em países como Austrália, Canadá, França, Hungria, Japão, Kenia, Rússia, México, Coreia do Sul, Tailândia e no Reino Unido.
  • Demograficamente, uma grande diversidade de pessoas tem adotado esta prática, como ateus, cristãos, mórmons; conservadores, libertários e liberais; pobres, classe média e famílias ricas; negros, hispânicos, e brancos; a escolaridade dos pais que adotam essa prática incluem-se aqueles que tem Ph.D, ensino superior ou apenas ensino médio. Um estudo mostrou que 32% dos estudantes em homeschooling são negros, asiáticos, hispânicos ou outros (não brancos) – (Noel, Stark, & Redford, 2013).
  • Existem hoje aproximadamente 2,3 milhões de pessoas que foram educadas em casa nos Estados Unidos. Outra estimativa, verificou que haviam até 2010, em torno de 2 milhões de crianças entre 5 e 18 anos que receberam educação domiciliar (Ray, 2011). Aparentemente, a quantidade de crianças que recebem educação domiciliar cresce continuamente entre 2 a 8% ao ano.
  • Famílias praticantes de educação domiciliar não são, geralmente, dependentes de programas de auxílio governamental, para promover a educação de seus filhos. Por conta dessas crianças não estarem na rede pública de ensino estima-se que o estado economize mais de 27 milhões de dólares ao ano.
  • O custo para o estado, por cada criança que estuda na rede pública nos EUA é de aproximadamente US$ 11.732 ao ano. Para as crianças que são educadas em casa, em sua maioria, o custo é zero. Enquanto isso, as famílias que adotam educação domiciliar o gasto médio é de 600 dólares ao ano na educação de cada filho.
  • Uma estimativas mostra que 3,4 milhões de americanos em idade adulta foram ensinados por meio de homeschooling por pelo menos um ano entre os 5 e 18 anos de idade, e na média, receberam educação domiciliar por um período de 6 a 8 anos. Se somarmos a esse número os 2,3 milhões que estão recebendo educação domiciliar atualmente, temos uma estimativa de 5,7 milhões de Americanos experienciaram homeschooling.

Razões e motivações para o homeschooling

A maioria dos pais decidem pelo homeschooling por mais de uma razão. Dentre as razões mais comum destacam-se:

    • Possibilitar um ensino mais acadêmicos;
    • Usar métodos pedagógicos diferentes daqueles que se tem nas escolas;
    • Promover uma interação social guiada e saudáveis com jovens e adultos;
    • fortalecer/melhorar relação familiar das crianças com os pais e entre os irmãos;
    • proporcionar um ambiente mais seguro para as crianças, prevenindo riscos como violência, drogas e alcool, bullying, racismo, sexualidade inadequada/não saudável, cada vez mais comum nas escolas;
    • ensinar valores, crenças e uma visão de mundo adequada às crianças.

Performance acadêmica

  • Jovens educadas em casa tem obtido 15 a 30% mais pontos do que jovens que estudaram na rede pública de ensino dos Estados Unidos, conforme verificado em ‘achievement tests’. Um estudo publicado em 2015 verificou que crianças negras que receberam ensino domiciliar tiveram pontuação nas provas 23 a 42% maior do que crianças negras que estudaram em escolas públicas (Ray, 2015);
  • O estudo mostra também que os estudantes tem demonstrado pontuação acima da média independente do grau de escolaridade ou faixa de renda dos pais, que são seus professores/tutores na educação domiciliar;
  • Também não foi verificada relação de desempenho dos alunos com o fato dos pais serem ou não professores certificados;
  • Em países com diferentes graus de controle estatal sobre atividades de homeschooling não foi possível verificar diferenças no desempenho escolar e acadêmico dos estudantes;
  • Jovens educados em casa têm demonstrado pontuação acima da média em testes admissionais para universidades.

Socialização: desenvolvimento social, emocional e psicológico

  • Jovens educados por homeschooling tem demonstrado graus de sociabilidade normais e acima da média. Pesquisas verificaram traços e habilidades de liderança, autoconhecimento, autoestima, participação em serviços comunitários, entre outros.
  • Jovens educados em casa são regularmente mais envolvidos em atividades sociais e educacionais junto a comunidade. Comumente envolvem-se em atividades e grupos tais como escoteiros, igrejas, atividades esportivas da comunidade, voluntariado etc.
  • Adultos que foram educados por homeschooling têm se demonstrado politicamente mais tolerantes em relação aos que foram educados por escolas.

Respeito as diferenças entre as crianças

  • Um pesquisar verificou que o homeschooling dá as crianças e adolescentes a chance de se perguntar “quem eu sou? ” e “o que eu realmente quero”, por um processo de autoconhecimento gradual, vão tendo resposta aos seus questionamentos, onde verificou-se que meninas desenvolvem suas forças e habilidades que contribuem ao seu autoconhecimento e autoestima.

Sucesso do homeschooling no mundo real

Para medir o sucesso efetivo do homeschooling, uma pesquisa foi realizada em adultos que foram educados por homeschooling por mais de 7 anos. A pesquisa demonstrou, por exemplo, que:

  • esses adultos demonstram ser mais participantes em serviço comunitário do que a média geral da população;
  • esse adultos demonstram maior engajamento em eleições e exercendo direito de voto, em comparação à média da população;
  • ingressam na universidade em maior percentual do que a média geral da população;
  • na vida adulta, compartilham valores e crenças de seus pais com maior facilidade.

Interpretação geral dos dados sobre sucesso ou fracasso do homeschooling

É possível que o homeschooling cause os benefícios apresentados na pesquisa. Contudo, a pesquisa não pode conclusivamente ‘provar’ que o homeschooling cause estes resultados. Ao mesmo tempo, não há nenhuma evidência empírica que a educação domiciliar cause resultados negativos em comparação a educação por meio de escolas públicas ou privadas. Pesquisas futuras podem responder melhor à questões supervenientes.

Fonte: NHERI.Org (National Home Education Research Institute)
Disponível em 13 de fevereiro de 2017 no link http://www.nheri.org/research/research-facts-on-homeschooling.html

Deixe uma resposta